(47) 999 333 606
  

Uma perspectiva espiritual da vida

Purple mount

Quando falamos em uma perspectiva espiritual da vida, queremos dizer que a realidade não se encerra na sua manifestação material, visível e cotidiana. Existem princípios mais sutis que influenciam diretamente a existência do ser humano. Estes princípios são objeto de indagação em diferentes áreas, como a ética, a moral, a filosofia, a metafísica, as religiões e a espiritualidade.

Espiritualidade é um termo amplo que compreende o estudo das dimensões da consciência, da vida após a morte, dos fenômenos parapsíquicos e das bioenergias. Em seu aspecto psicológico, a questão espiritual passa por conhecermo-nos profundamente, buscando respostas para perguntas como: Quem sou eu? O que vim fazer nesta existência? Como posso realizar algo significativo nesta vida?

Valores elevados

No centro da concepção espiritual da vida está a noção de haver no universo uma estrutura inteligente e virtuosa que transcende o ego pessoal. Esta estrutura, a que podemos chamar de Vida, Cosmos, Universo, Deus ou outro nome equivalente, incita cada ego humano a harmonizar-se com valores positivos maiores, que asseguram uma melhor existência individual e coletiva.

Alguns exemplos de valores registrados nos ensinamentos de diferentes tradições espirituais são o amor incondicional, a compreensão profunda de si e dos outros, o perdão e o autoperdão conscientes, o exercício da gratidão sincera por tudo que recebemos, a compaixão e a fraternidade, o ímpeto de evoluir como pessoa, a confiança no fluxo da vida.

Somos humanos

Ao mesmo tempo, quando consideramos nossa existência humana em sua atual etapa evolutiva, percebemos que nem sempre conseguimos sustentar tais valores nas relações conosco mesmo, com outros seres humanos e com o ambiente.

Assim como alunos que trilham as séries iniciais de uma grande escola, podemos e devemos ter bons valores como nosso horizonte. Mas precisamos fazê-lo com temperança e sabedoria, compreendendo que todo aprendizado inclui sua porção de erros e de acertos, de limitações e de potenciais.

Luz para evoluir

A harmonização espiritual pessoal começa com a simples mas difícil tarefa de olhar para dentro de si de modo a identificar todos os pensamentos, sentimentos e atitudes que habitam nossa consciência. É preciso observar todas as influências que atravessam o nosso ser; as boas e as nocivas, as que produzimos e as que nos são sugeridas externamente.

Este exercício de lucidez aliado a uma decisão de melhorar como pessoa leva ao progressivo domínio das correntes que nos arrastam para estados mentais e emocionais negativos. Para superar um determinado problema o primeiro passo é trazê-lo à luz para que possa, pela força da vontade e pela boa resolução, ser transmutado.

Temos o potencial de lapidar nossa existência para alcançar melhores versões de nós mesmos. O caminho do auto aperfeiçoamento conduz a uma existência mais significativa e feliz. É a isto que nos convida, em essência, uma perspectiva espiritual da vida.


Florais de Bach: aliados na busca pelo equilíbrio

Chicory

Crédito da Foto: Nicola Hanefeld, BFRP

A mente e as emoções atuam de maneira importante na manutenção da saúde ou da doença. Quando a consciência* produz ou abriga pensamentos e sentimentos negativos ela emite, para si e para o ambiente, irradiações e emanações energéticas desarmônicas que no longo prazo tendem a se manifestar também no corpo físico, na forma de doenças e efeitos prejudiciais diversos.

Dentro do fator psicossomático é preciso considerar o campo bioenergético, que é o elo de ligação entre a psique (alma) e o soma (corpo). O campo bioenergético funciona como registro e repositório dos desequilíbrios mentais e emocionais originados na consciência. É particularmente neste nível que atuam os Florais de Bach.

O que são Florais?

Os Florais são essências naturais extraídas de flores que favorecem a restauração do equilíbrio energético pessoal quando o mesmo está sendo prejudicado por padrões negativos de ideias e emoções.

Como eles podem ajudar?

As essências, quando corretamente indicadas e utilizadas, atuam de forma terapêutica aliviando os sintomas de problemas específicos, tais como:

  • estresse
  • ansiedade
  • medo
  • culpa
  • incerteza
  • angústia
  • trauma
  • desânimo
  • tristeza
  • baixa autoestima
  • solidão

entre outros. Além disso, permitem que a pessoa reconheça a sua maneira característica de ser, identificando as suas áreas emocionais mais vulneráveis, o que é importante para a saúde no longo prazo.

Os Florais auxiliam, assim, tanto com o alívio temporário e emergencial das dores da alma como a trilhar um caminho de autoconhecimento e equilíbrio emocional mais profundo e duradouro.

Uma terapia consagrada

Ao longo das últimas décadas surgiram e continuam a surgir variados sistemas de terapia floral. Dentre eles, o sistema dos Florais de Bach é um dos mais consolidados em todo o mundo. Desenvolvido entre as décadas de 1920 e 1930, é um sistema consagrado não só pela seriedade com que foi pesquisado pelo seu criador – o médico, bacteriologista, contribuidor da homeopatia e escritor inglês Dr. Edward Bach – como também pelos casos de sucesso relatados na literatura terapêutica internacional.

Além de uma base científica, há uma filosofia espiritual por trás do sistema dos Florais de Bach. Esta filosofia nos convida a desenvolver os nossos potenciais positivos e a manifestarmos emoções, pensamentos e atitudes mais nobres, que contribuem para realizarmos uma passagem mais harmônica pela existência.

*Consciência entendida como fonte de produção e filtro dos pensamentos, sentimentos e ações pessoais; ponto de inflexão inteligente que governa a existência pessoal.


Psicoterapia: autoconhecimento e saúde psíquica

Psicoterapia: autoconhecimento e saúde psíquica

Psicoterapia é uma palavra derivada do Grego Antigo que une os termos psyche (“respiração; espírito; alma”); e therapeia (“cura; tratamento médico”). Atualmente, o termo é usado para se referir a terapias que se baseiam na conversação e na interação entre terapeuta e paciente.

A psicoterapia é uma conversa conduzida de maneira ética e profissional sobre temas pertinentes ao autodesenvolvimento. Ela visa ajudar a modificar, mitigar ou melhorar comportamentos, emoções, pensamentos ou características que a pessoa deseja trabalhar durante os encontros. É uma oportunidade de reservar para si, de maneira segura e confidencial, um espaço para trocas honestas a respeito de assuntos relevantes para o próprio bem estar.

Escolha bem seu terapeuta

Além da boa formação do profissional, para que a psicoterapia renda bons frutos é importante que haja uma relação de confiança entre as partes, também chamada de aliança terapêutica. A empatia e a escuta acolhedora, sem julgamentos por parte do terapeuta, também são características de um bom processo de psicoterapia.

Quem precisa de terapia?

As indicações para que alguém faça psicoterapia incluem diversas situações. Sentir-se prolongadamente desamparado ou entristecido, sentir que conversas com amigos e familiares não estão ajudando o suficiente, dificuldade em se motivar para as tarefas cotidianas, preocupação excessiva, dificuldade de se manter no controle dos próprios pensamentos, emoções e ações: estes são alguns exemplos de motivos que levam alguém a procurar uma escuta psicoterápica profissional. Algumas pessoas também buscam a terapia simplesmente para explorar melhor o campo do autoconhecimento.

Alguns benefícios

Independente dos caminhos que trazem alguém à psicoterapia, os seus benefícios podem ser sentidos pelo aumento do bem estar, da autoconfiança, da serenidade, da responsabilidade e da maturidade com que os problemas pessoais passam a ser encarados.

Na verdade, todo ser humano com saúde mental relativamente estável possui uma riqueza de recursos psíquicos com os quais pode superar seus desafios pessoais. Quando estamos bem conectados com esta fonte interna de resiliência, nos sentimos lúcidos e centrados, e não sentimos necessidade de recorrer à psicoterapia.

Já quando em função de circunstâncias difíceis ou momentos de fragilidade aumentada esta conexão se encontra interrompida, a psicoterapia age como um instrumento que ajuda a recuperar o acesso às qualidades e virtudes pessoais geradoras da capacidade de viver bem em meio aos desafios da existência.

Nesse sentido, ainda pode haver espaço para a concepção original da palavra psicoterapia. Ao promover a recuperação da saúde psíquica, a sua prática continua sendo, de certa forma, uma busca pela “cura da alma”.