(47) 999 333 606
  

Psicoterapia: autoconhecimento e saúde psíquica

Psicoterapia: autoconhecimento e saúde psíquica

Psicoterapia é uma palavra derivada do Grego Antigo que une os termos psyche (“respiração; espírito; alma”); e therapeia (“cura; tratamento médico”). Atualmente, o termo é usado para se referir a terapias que se baseiam na conversação e na interação entre terapeuta e paciente.

A psicoterapia é uma conversa conduzida de maneira ética e profissional sobre temas pertinentes ao autodesenvolvimento. Ela visa ajudar a modificar, mitigar ou melhorar comportamentos, emoções, pensamentos ou características que a pessoa deseja trabalhar durante os encontros. É uma oportunidade de reservar para si, de maneira segura e confidencial, um espaço para trocas honestas a respeito de assuntos relevantes para o próprio bem estar.

Escolha bem seu terapeuta

Além da boa formação do profissional, para que a psicoterapia renda bons frutos é importante que haja uma relação de confiança entre as partes, também chamada de aliança terapêutica. A empatia e a escuta acolhedora, sem julgamentos por parte do terapeuta, também são características de um bom processo de psicoterapia.

Quem precisa de terapia?

As indicações para que alguém faça psicoterapia incluem diversas situações. Sentir-se prolongadamente desamparado ou entristecido, sentir que conversas com amigos e familiares não estão ajudando o suficiente, dificuldade em se motivar para as tarefas cotidianas, preocupação excessiva, dificuldade de se manter no controle dos próprios pensamentos, emoções e ações: estes são alguns exemplos de motivos que levam alguém a procurar uma escuta psicoterápica profissional. Algumas pessoas também buscam a terapia simplesmente para explorar melhor o campo do autoconhecimento.

Alguns benefícios

Independente dos caminhos que trazem alguém à psicoterapia, os seus benefícios podem ser sentidos pelo aumento do bem estar, da autoconfiança, da serenidade, da responsabilidade e da maturidade com que os problemas pessoais passam a ser encarados.

Na verdade, todo ser humano com saúde mental relativamente estável possui uma riqueza de recursos psíquicos com os quais pode superar seus desafios pessoais. Quando estamos bem conectados com esta fonte interna de resiliência, nos sentimos lúcidos e centrados, e não sentimos necessidade de recorrer à psicoterapia.

Já quando em função de circunstâncias difíceis ou momentos de fragilidade aumentada esta conexão se encontra interrompida, a psicoterapia age como um instrumento que ajuda a recuperar o acesso às qualidades e virtudes pessoais geradoras da capacidade de viver bem em meio aos desafios da existência.

Nesse sentido, ainda pode haver espaço para a concepção original da palavra psicoterapia. Ao promover a recuperação da saúde psíquica, a sua prática continua sendo, de certa forma, uma busca pela “cura da alma”.